Proseando.... - UOL Blog
 
   



BRASIL, Sudeste, ITU, Mulher, de 20 a 25 anos, Portuguese, Arte e cultura, Informática e Internet
MSN - danila_sanchez@hotmail.com

 


 
 01/12/2004 a 31/12/2004  01/11/2004 a 30/11/2004  01/10/2004 a 31/10/2004  01/09/2004 a 30/09/2004  01/08/2004 a 31/08/2004  01/07/2004 a 31/07/2004


 Neander - Garanhuns/PE
 Papel de pão
 professor de filosofia
 poetry café
 Edson Marques
 Professor Rubens
 Ton da Biologia
 Físico Cínico
 Blog do romance
 Palavras soltas da Teca
 Fernão Capelo Gaivota
 Meu caminhar
 Doces sonhos
 Amor em preto e branco
 Amante da lua



 Vote agora!



O que é isto?
 
Visitante número:
 
Proseando....




 

 

Olho para o céu
Tantas estrelas dizendo da imensidão 
Do universo em nós
A força desse amor nos invadiu
Com ela veio a paz toda beleza de sentir
que para sempre uma estrela vai dizer..simplesmente amo você...”

     Eu não sei fazer poemas mas eu descobrí que sei fazer estrelas de lantejoulas, elas brilham... brilham como a luz dos olhos teus...as estrelas cantam pra mim, elas me segredam seus nomes: Sírius, Canopus, Arcturus, Rigil Kentaurus, Veja, Capela, Rigel, Prócion, Achernar  e Betelgeuse assim como as dez estrelas mais brilhantes do sitema solar, são as minhas pequenas estrelinhas... cada lantejoula aplicada é um pequeno diamante tirado dos teus olhos... veja como brilha as minhas estrelas!  Já dizia Bilac: "Amai para entendê-las! Pois só quem ama é capaz de ouvir e de entender estrelas”...as minhas estrelas, com seis pontas, brilhantes como teus olhos reina sob as quatro direções dos céus e terras...teus sonhos são estrelas no céu a viajar, pois se sabe que se é sonho, é coisa delicada do coração...você é o vento que leva minhas bolhas de sabão para que voem livres, e eu desejo então que você brilhe sempre, eternamente...para que sua luz nunca tenha fim na constelação da minha vida! Dorme bem meu anjinho....eu fiz um céu de lantejoula para os dias em que a chuva cobrir as tuas estrelas...

 

 

 

 



Escrito por Danila às 23h31
[] [envie esta mensagem
]



 

Tudo por um livro do Edson!

 

     Hoje saciei meu desejo. Aliás “meus desejos” (mas aqui só posso falar de um, o outro é secreto, risos). O Desejo esse  "apetite", esse impulso produzido pela estimulação de um sistema neurológico específico, que produz sensações específicas e suficientes para levar a pessoa à busca de experiência ou a mostrar-se receptiva a ela. Todo mundo já teve um desejo na vida! Eu já desejei pessoas, coisas...vivo de desejo, um dos meus desejos eternos é por chocolate, mas existe uma desejo que trago desde criança...e quando eu era criança não comia chocolate do jeito que como hoje, mas já desejava os livros, e nos últimos tempos eu desejei desesperadamente o livro do Edson....e ele está aqui! O livro do Edson Marques está aqui comigo!), foi uma aventura...não consigo deixar de lembrar da cena hilária, eu perdida sozinha, no meio do largo do paisandú, tinha dado umas 4 voltas procurando a “temos livros” até que um gringo chega pra mim e pergunta: “E aí morena quanto é?” Eu lhe digo “Quanto é o quê?”, no qual ele arremata: “O programa” (moça do interior perdida na cidade grande é foda né?) mas num dado momento me lembrei da existência do celular e do número da livraria, por fim consegui encontrar a  “temos livros”,  Foi uma alegria imensa. O livro do Edson é simplesmente demais! É um livro que brinda a vida, que brinda o amor no ápice da sua magnitude, é um livro pra quem está vivo.

     São idéias para se recitar, poesias para se viver, palavras malucas para ser feliz. E o Edson é doido, é um desses malucos...porque poeta é tudo doido, e poesia é uma forma de loucura. E loucura é o tempero da vida. Disse o poeta T. S. Eliot: Num País de fugitivos aquele que caminha na direção contrária parece estar fugindo”. Andar na direção oposta a direção de todos só pode ser coisa de doido.  Vejam o Edson Marques, doidão! Numa sociedade os de as pessoas ainda aprisionam seus companheiros com inseguranças, ciúmes, opressões, vem o Edson para remar (e provar) o sabor do contrário...sejam livres, tenham prazer, sejam felizes. Ele diz “É impossível ser feliz sem liberdade”... Seu magnífico livro começa com um trecho assim: “ Este é um livro para aqueles que se amam. Não é um manual: não escrevo para escravos. Eu quero é que vocês pensem. Só isso. Essas coisas todas, eu as escrevo para quem nasce, ou quer nascer de novo. Para quem vive e não para quem morre!”- Edson Marques.

     Eis alguns trechos do livro “Manual da Separação”:

 

“Quando você deixa de amar alguém e continua com esse alguém, não é apenas esse amor que diminui: é a tua própria capacidade de amar que apodrece. Definitivamente.”

 

“Não basta ser semente: é preciso que germine.”

“O casamento é o túmulo do amor.”

“Amo as mulheres: no corpo de uma delas vejo a alma de todas as outras.”

 

“Só se morre uma vez, e é fatal.

Só se vive uma vez e é belo.

Quem não sabe a diferença se fode.”

 

“Só quem salta inteiro no belo escuro e profundo da vida é que pode viver e brilhar de verdade”.

 

     Quando eu li Maquiavel eu perdi minha ingenuidade....quando eu li Edson Marques perdí o resto da razão (o que me faz deliciosamente feliz).



Escrito por Danila às 21h30
[] [envie esta mensagem
]



    

Hoje você me olhou...caminhou até mim, me deu seu habitual bom dia...me contou suas histórias como já nos acostumamos a fazer...você me fez rir...você sentiu que eu estava triste, você adivinhou a minha alma quando me pediu pra lhe mostrar a minha mão! Você leu meus pesadelos e fez deles sonhos de padaria....você é assim, você não é nada além do irreal.

     Hoje choro mais uma dor, a dor do assassinato! Agora, neste exato momento minha alma comete mais um dos seus inescrupulosos atos de rebeldia, em que ferida mata a sua presa.... hoje do meu coração partem navios para naufragar...os meus pensamentos sempre tão contentes...pena que meu coração não o conhece. Meu pensamento é alegre mas meu coração é triste. Hoje sou um recorte de jornal...amanhã a manchete da revista...tenho a tristeza que dói de ser sentida...a minha alma agora deu a ultima facada e esse amor agoniza no meu peito, não consigo reter seu sangue...minha alma imaculada se tinge do escarlate de tão poética criatura....seu último suspiro junta com minhas lágrimas que forasteiras insistem em cair num desespero para se juntar ao sangue e temperados  trazem o aroma de um amor encontrado por acaso e perdido pelo medo...

 



Escrito por Danila às 11h12
[] [envie esta mensagem
]



´A primeira idéia que uma criança precisa ter é a da diferença entre o bem e o mal. E a principal função do educador é cuidar para que ela não confunda o bem com a passividade e o mal com a atividade.´

Maria Montessori (1870 - 1952), Pedagoga Italiana 

 

     Freud um dia disse que profissão “professor” era uma profissão “impossível” Ser professor nunca foi fácil. Durante séculos exigiu-se que o professor fosse um modelo de virtudes, e mais recentemente que desempenhasse as funções de um técnico, capaz de mudar os comportamentos e atitudes de todo o tipo de alunos....mas  quanto será que um aluno muda o professor?

     Todo mundo lembra da primeira professora com carinho...eu só lembro da força com que ela segurava meu braço me forçando a entrar na sala..., era meu primeiro dia de aula, lá conheci um menininho que me pôs na mão o que seria a minha paixão pelo resto da minha vida escolar, um livro! As mesas eram para quatro crianças, do meu lado meu amiguinho, um menino que eu adorei desde a primeira hora, e acho que foi a primeira pessoa por quem tomei as dores... chegou a hora do lanche...ah aquela professora gorda não sabia que eu não comia fora de casa....mas comi, seria a primeira e última vez, enquanto eu olhava pro meu prato percebi que meu amiguinho estava sendo obrigado a abrir a boca e engolir sua sopa, achei aquilo o fim do mundo, fiquei tão injuriada que cheguei perto da professora, lhe puxei a saia e quando ela me olhou joguei minha sopa nela e saí correndo....corri pra fora da escola pra nunca mais voltar, pulei o trem e voltei para casa dizendo pra minha mãe que nunca mais voltaria lá. Voltei é óbvio, mas só no ano seguinte.... Aliás só voltei pra escola porque eu queria saber o que estava escrito nos livros que eu carregava pra cima e pra baixo junto com minhas galinhas. Daí, por sorte encontrei uma professora paciente e amorosa, quis ser professora claro,  mas eu prometi que seria diferente daquela tia que conheci....e jamais obrigaria uma criança a comer. Acho que consegui...treinei bastante com minhas galinhas.

     A cada dia acordar pra trabalhar é como saudar um novo acontecimento. Amo o colégio, amo meus alunos, amo cada livrinho, cada folhinha de papel, amo o cheiro do giz de cera, o cheiro das crianças suadas, os beijos babados, as mãos de tinta no meu uniforme, o riso deles, os matos que eles arrancam dos jardins e me trazem como sendo “flores pra tia Dani” e que a tia sempre coloca nos vasinhos estratégicos espalhados sobre a pia...é emocionante vê-los escrevendo sozinho,...e a leitura? Quando a criança lê pela primeira vez, parece que o coração da professora pára, e o mundo paralisa diante do som das primeiras letras....

     Eu nunca escrevi aos meus mestres...mas jamais deixei de escrever num caderninho de aluno o quanto ele é valioso. Ao meu aluno com carinho....

 



Escrito por Danila às 21h52
[] [envie esta mensagem
]



"Detesto tudo que oprime o homem, inclusive a gravata."

 por CLARICE LISPECTOR 

MULHER, POESIA, MÚSICA

- Vinícius, acho que vamos conversar sobre mulheres, poesia e música. Sobre mulheres porque corre a fama de que você é um grande amante. Sobre poesia porque você é um dos nossos grandes poetas. Sobre música porque você é o nosso menestrel. Vinícius, você amou realmente alguém na vida? Telefonei para uma das mulheres com quem você casou, e ela disse que você ama tudo, a tudo você se dá inteiro: a crianças, a mulheres, a amizades. Então me veio a idéia de que você ama o amor, e nele inclui as mulheres.

- Que eu amo o amor é verdade. Mas por esse amor eu compreendo a soma de todos os amores, ou seja, o amor de homem para mulher, de mulher para homem, o amor de mulher por mulher, o amor de homem para homem e o amor de ser humano pela comunidade de seus semelhantes. Eu amo esse amor mas isso não quer dizer que eu não tenha amado as mulheres que tive. Tenho a impressão que, àquelas que amei realmente, me dei todo.

- Acredito, Vinícius. Acredito mesmo. Embora eu também acredite que quando um homem e uma mulher se encontram num amor verdadeiro, a união é sempre renovada, pouco importam as brigas e os desentendimentos: duas pessoas nunca são permanentemente iguais e isso pode criar no mesmo par novos amores.

- É claro, mas eu ainda acho que o amor que constrói para a eternidade é o amor paixão, o mais precário, o mais perigoso, certamente o mais doloroso. Esse amor é o único que tem a dimensão do infinito.

- Você já amou desse modo?

- Eu só tenho amado desse modo.

- Você acaba um caso porque encontra outra mulher ou porque se cansa da primeira?

- Na minha vida tem sido como se uma mulher me depositasse nos braços de outra. Isso talvez porque esse amor paixão pela sua própria intensidade não tem condições de sobreviver. Isso acho que está expresso com felicidade no dístico final do meu soneto "Fidelidade": "que não seja imortal posto que é chama / mas que seja infinito enquanto dure".

 A música de Vinícius, disse ela, fala muito de amor e a gente se identifica sempre com ela.

- Você teria um 'caso' com ele?

- Não, porque apesar de achar Vinícius amorável, eu amo um outro homem. E Vinícius me revela ainda mais que eu amo aquele homem. A música dele faz a gente gostar ainda mais do amor. E "de repente, não mais que de repente", ele se transforma em outro: e é o nosso poetinha como o chamamos.

Eis pois alguns segredos de uma figura humana grande e que vive a todo risco. Porque há grandeza em Vinícius de Moraes.

(in "A Descoberta do Mundo" -  Editora Rocco - Rio de Janeiro (1988)"




Escrito por Danila às 11h15
[] [envie esta mensagem
]



[ ver mensagens anteriores ]