Proseando.... - UOL Blog
 
   



BRASIL, Sudeste, ITU, Mulher, de 20 a 25 anos, Portuguese, Arte e cultura, Informática e Internet
MSN - danila_sanchez@hotmail.com

 


 
 01/12/2004 a 31/12/2004  01/11/2004 a 30/11/2004  01/10/2004 a 31/10/2004  01/09/2004 a 30/09/2004  01/08/2004 a 31/08/2004  01/07/2004 a 31/07/2004


 Neander - Garanhuns/PE
 Papel de pão
 professor de filosofia
 poetry café
 Edson Marques
 Professor Rubens
 Ton da Biologia
 Físico Cínico
 Blog do romance
 Palavras soltas da Teca
 Fernão Capelo Gaivota
 Meu caminhar
 Doces sonhos
 Amor em preto e branco
 Amante da lua



 Vote agora!



O que é isto?
 
Visitante número:
 
Proseando....




A MORTE DE NOSSOS SONHOS

 

 

O primeiro sintoma de que estamos matando nossos sonhos é a falta de tempo.
As pessoas mais ocupadas
têm tempo para tudo.
As que nada fazem estão sempre cansadas.

O segundo sintoma da morte de nossos sonhos são nossas certezas. Porque não queremos olhar a vida como uma grande aventura a ser vivida, passamos a nos julgar sábios no pouco que pedimos da existência. E não percebemos a imensa Alegria que está
no coração de quem está lutando.

O terceiro sintoma da morte de nossos sonhos é a Paz. A vida passa a ser uma tarde de domingo, sem nos pedir grandes coisas, e sem exigir mais do que queremos dar.



Escrito por Danila às 09h42
[] [envie esta mensagem
]



 Não há como substituir um velho companheiro. Nada vale o tesouro de tantas recordações comuns, de tantos momentos difíceis vividos juntos, tantas desavenças e reconcialiações, tantas emoções compartilhadas. Não se reconstróem essas amizades. É inútil plantar um carvalho na esperança de poder, em breve, se abrigar sob sua sombra.

(Terra dos homens)

"As pessoas não tem mais tempo de conhecer nada. Compram tudo pronto nas lojas. Mas, como não existem lojas de amigos, elas não tem mais amigos."

(O pequeno príncipe)

O ser humano não passa de um nó de relacionamentos.

(piloto de guerra)

 



Escrito por Danila às 19h24
[] [envie esta mensagem
]



 

Essa é a Lídice, a minha querida professora...que está sempre gritando meu nome: "Vamos Danila"!

Olha a galera aí...essas meninas são a alegria em forma de pessoa. A san é a de vermelho, menina danada, o Sílvio (que vai trabalhar de cafetão no meu bordéu, rsss), e nosso professor de musculação Val.

Olha só o Sílvio...joga basquete que nem Michael Jordan, rssss. (Só não me passe a bola).

Dona Loudes, sua netinha, Rita (a revelação da aula de dança no ventre, hehehe) e a Dona Inês.

Olha os profs aí....quanta simpatia! São eles que não me deixam engordar, são eles que gritam comigo, são eles que pegam no meu pé, é com eles que dou muitas risadas.

Fazer uma aula de dança do ventre as 6:00 horas da manhã de uma sexta-feira com essa turma é a melhor coisa do mundo, afinal rir também é saúde. (E somos especialistas nisso).

O Meneghoto que deixa a galera em forma com as aulas de Spinning, nossa miss simpatia e o homem que perdeu 57 kg.

As nossas miss simpatias....

E o nosso brinde pra encerrar a festa.

 



Escrito por Danila às 09h45
[] [envie esta mensagem
]



"Sonhe com as
           estrelas, apenas sonhe,
           elas só podem brilhar no céu.
           Não tente deter o vento,
           ele precisa correr por toda parte,
           ele tem pressa de chegar, sabe-se lá aonde.
           As lágrimas?
           Não as seque,
           elas precisam correr na minha,
           na sua, em todas as faces.
           O sorriso!
           Esse, você deve segurar,
           não o deixe ir embora, agarre-o!
           Persiga um sonho,
           mas, não o deixe viver sozinho.

           Alimente a sua alma com amor,
           cure as suas feridas com carinho.
           Descubra-se todos os dias,
           deixe-se levar pelas vontades,
           mas, não enlouqueça por elas.
           Abasteça seu coração de fé,
           não a perca nunca.
           Alague seu coração de esperanças,
           mas, não deixe que ele se afogue nelas.
           Se achar que precisa voltar, volte!
           Se perceber que precisa seguir, siga!
           Se estiver tudo errado, comece novamente.
           Se estiver tudo certo, continue.
           Se sentir saudades, mate-as.
           Se perder um amor, não se perca!

          Se o achar, segure-o!
           Circunda-se de rosas, ama, bebe e cala.
           O mais é nada".

           Fernando Pessoa

 



Escrito por Danila às 14h42
[] [envie esta mensagem
]



 

 

(Aiiii, que desejo que isso me dá!)

A vida tem sabor de...

 

     A vida tem a cor que a gente pinta...e tem o sabor que a gente escolhe, a minha tem um sabor: chocolate! A minha vida tem sabor de chocolate, tem cheiro de chocolate e tem cor de chocolate. Chocolate é o mais saboroso dos sabores, chocolate é o êxtase, é o medidor tântrico que revela os segredos mais ocultos do âmago do ser. Eu como, como até demais, e que não ousem me privar deste objeto do meu desejo mais explícito, me poupem os professores da academia que me advertem para o uso extremamente abusado desse meu negrinho delicioso, oras bolas carambolas, então vocês acham que eu me mato na academia por qual finalidade senão outra: comer chocolate! Aliás o chocolate me deixe de muito bom humor...que tristeza e quão mal dormidas as noites que passo sem ele! Ó meu saboroso moreno, quão amarga é a vida sem ti....e pensar que eu já tive um noivo que me proibia de comer chocolate...pobrezinho...claro que larguei do noivo!  Outro sabor estonteante é o da pimenta! Sabor que queima, que ferve, sabor forte, delicioso, que enche os pratos de sabor e aroma....pimenta que tempera a vida! Pimenta que “esquenta” a vida. Tudo o que é bom , que provoca e que causa rebuliço tem cor e sabor de pimenta. Veja só, se olharmos na história da humanidade descobrimos vidas saborosíssimas, pessoas que foram enfeitiçadas ou que até mesmo fizeram do seu pecado uma fruta mordida.  Casanova por exemplo, era fã das ostras: comia 50, todas as manhãs, na banheira, em companhia da mulher em quem estava interessado no momento...dizem que a ostra contém zinco que aumenta 1000% a produção de testosterona...eca, pena que o Casanova não conhecia o viagra....e a maçã então? Símbolo máximo da tentação desde que Eva seduziu Adão, tem propriedades estimulantes. Sua fama entre os rituais eróticos e de sedução é universal, era usada em inúmeras poções mágicas, filtros de amor e encantamentos. Tem quem goste de uva...essa é uma fruta associada ao prazer, à fertilidade, a Dinonísio (Baco), Príapo e todos os deuses alegres existentes em todas as tradições. Dionísio não era apenas o deus do vinho mas também da fertilidade e da procriação. Atribui-se propriedades estimulantes as uvas não fermentadas e, além disso, eram presença obrigatória em orgias e bacanais na Grécia. E ainda tem morango, pêssego e damasco que são consideradas frutas sensuais principalmente pelo seu perfume, sua textura suave e suculenta e sua cor.

 

"Arrependo-me dos pratos deliciosos rejeitados por vaidade, tanto como lamento as oportunidades de fazer amor que deixei passar para me dedicar a tarefas pendentes ou por virtude puritana", já que a " sexualidade é um componente da boa saúde, inspira a criação e é parte do caminho da alma... Infelizmente, demorei trinta anos para descobrir isto". (Isabel Allende)

 Que delícia poder dar sabor a vida. Sua vida tem sabor de quê?

 



Escrito por Danila às 22h33
[] [envie esta mensagem
]



 

O Pequeno Príncipe
Antoine de Saint-Exupéry

(...) "E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia - disse a raposa.
- Bom dia - respondeu polidamente o principezinho que se voltou mas não viu nada.
- Eu estou aqui - disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? - perguntou o principezinho.
- Tu és bem bonita.
- Sou uma raposa - disse a raposa.
- Vem brincar comigo - propôs o príncipe

- estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo - disse a raposa. - Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa - disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- O que quer dizer "cativar"?
- Tu não és daqui - disse a raposa. - Que procuras?
- Procuro amigos - disse. - Que quer dizer cativar?
- É uma coisa muito esquecida - disse a raposa. - Significa "criar laços"...
- Criar laços?
- Exatamente. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessiddade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo...
Mas a raposa voltou a sua idéia:
- Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei o barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora como música. E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento do trigo...
A raposa então calou-se e considerou muito tempo o príncipe:
- Por favor, cativa-me! - disse ela.
- Bem quisera - disse o principe - mas eu não tenho tempo. Tenho amigos a descobrir e mundos a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou - disse a raposa. - Os homens não tem tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres uma amiga, cativa-me!
- Os homens esqueceram a verdade - disse a raposa. - Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."

 

Cativar não é manter cativo, cativar é criar laços....cultivar é saber cuidar, cuidar de quem se quer bem...

 



Escrito por Danila às 19h08
[] [envie esta mensagem
]



A verdadeira história de Chapéuzinho vermelho...

 

     Esses dias eu matei o papai noel, a Jujú, “tia” dos mijões achou meio dramático e resolveu dizer as crianças que ele não tinha morrido não, que ele estava era num asilo...pronto! A tia do jardim da infância não deveria dizer essas coisas...mas fazer o quê, depois que o coelhinho da páscoa morreu afogado na piscina da escola, melhor mudar para o “patinho da páscoa” ( as crianças até curtiram a idéia). E por falar em curtir, outro dia um amigo insistiu pra que eu contasse a verdadeira história da chapeuzinho vermelho. Essa com certeza eu jamais contaria pros meus pequenos, até porque a primeira história escrita por Perrault era uma história para adulto, O capuz vermelho que acompanha a menina nas versões de Perrault e na dos Grimm, surge como símbolo da cor do sangue, da menstruação, cor da alma, da libido e do coração. O “Lobo Mau” na verdade é a figura de um homem. Só tempos depois os Irmãos Grimm alteraram seu conteúdo erótico e adaptaram às crianças numa época antes do século XVIII, ou seja, antes que a revolução burguesa modificasse o pensamento e o comportamento ocidental, e, portanto, modificasse a história bem mais próxima do que a conhecemos hoje. E aqui vai a verdadeira, contada por camponeses ao redor do fogo em noites de inverno europeu:

“Certo dia, a mãe de uma menina mandou que ela levasse um pouco de pão e de leite para sua avó. Quando a menina ia caminhando pela floresta, um lobo aproximou-se e perguntou-lhe onde ia: Para a casa da vovó – ela respondeu.
Por que caminho você vai, o dos alfinetes ou o das agulhas?
O das agulhas.

Então o logo seguiu pelo caminho dos alfinetes e chegou primeiro à casa. Matou a avó, despejou seu sangue numa garrafa e cortou sua carne em fatias, colocando tudo numa travessa. Depois, vestiu sua roupa de dormir e ficou deitado na cama, a espera.

Pam, pam !.
Entre, querida.
Olá vovó. Trouxe para a senhora um pouco de pão e leite.
Sirva-se também de alguma coisa. Há carne e vinho na copa.
A menina comeu o que lhe era oferecido e, enquanto o fazia, um gatinho disse:
Menina perdida! Comer a carne e beber o sangue da sua avó!
Depois o lobo disse:
Tire a roupa e deite-se na cama comigo.
Onde ponho o avental?
Jogue no fogo. Você não vai mais precisar dele.
Para cada peça de roupa – corpete, saia, anágua e meias – a menina fazia a mesma pergunta. E cada vez, o lobo respondia:
Jogue no fogo. Você não vai precisar mais dela.
Quando a menina se deitou na cama, disse:
Ah, vovó! Como você é peluda!
É para me manter mais aquecida, querida.
Ah, vovó! Que ombros largos você tem!
É para carregar melhor a lenha, querida!
(...) Até que ela perguntou:
Ah, vovó! Que dentes grandes você tem!
É para comer melhor você, querida!
E ele a devorou”.

 

 



Escrito por Danila às 21h50
[] [envie esta mensagem
]



Minha menininha, hoje eu sou do teu tamanho!



Escrito por Danila às 11h23
[] [envie esta mensagem
]



O lobo não é mau, é inteligente!

 

     Esses dias contei pros meus pequenos que o lobo nunca foi mau. “Mas como tia?” Oras bolas carambolas, é tudo culpa da chapeuzinho e dos três porquinhos...a chapeuzinho pra começar nunca deixou o lobo em paz, mania de perseguição...e os porquinhos...oras vocês não comem presunto? Então, vocês comem porquinhos....(ainda bem que eles acham é graça na história toda...risos). Crianças simpatizam com o lobo, adoram o malvado da história, na brincadeira nunca querem ser porquinho...por quê será? Sei o quanto um conto de fada é importante na formação moral de uma criança, por isso nunca devemos mudar o enredo da história, lobo come a chapeuzinho mesmo!Abocanha com a boca babona e lá vai ela pra barriga fazer companhia pra vovozinha que já estava lá. Criança é inteligente e pobre de nós adultos que subestima o seu  entendimento sobre as coisas....e esses dias estudando sobre os lobos tiramos muitas lições. Pra começar quando uivando cada lobo é muito cuidadoso em não imitar o outro. Cada lobo assume um único tom respeitando as singularidades do outros membros do grupo. Enquanto as notas podem mudar, como em qualquer bela canção, um lobo nunca copia a melodia do outro.

     A ordem social do lobo é muito evoluída, com um macho e uma fêmea alfa como líderes, um macho e uma fêmea beta como os segundos no comando, e usualmente um omega no escalão mais baixo. O macho alfa tem força, habilidade para tomar decisões, personalidade marcante e muita bravura. Ele é literalmente o líder do grupo. A fêmea alfa atua como sua companheira e como vice líder da alcatéia. Sua personalidade é basicamente semelhante à do macho alfa. A sobrevivência do grupo depende da sabedoria, julgamento e liderança de ambos.

     O macho alfa geralmente se concentra em manter os outros machos na linha, enquanto cabe a fêmea alfa dominar as outras fêmeas...o lobo alfa impõe respeito mordendo, rosnando e perseguindo os demais. Existe o lobo ômega, bode expiatório, leva a culpa, come por último, é um exemplo de submissão, vive em posição vulnerável, e quando caminha mantêm a cauda entre as pernas.

     A hierarquia dos lobos na alcatéia pode, com freqüência ser determinada pela posição em que estes mantêm suas caudas. As caudas dos lobos alfa ficam levantadas. Os lobos médios as mantêm em posição baixa. Os lobos ômega, como determina seu status mantêm as caudas entre as pernas... o lobo não é mau, o lobo é inteligente!

 



Escrito por Danila às 10h27
[] [envie esta mensagem
]



Diz uma história que numa cidade apareceu um circo, e que entre seus artistas havia um palhaço com o poder de divertir, sem medida, todas as pessoas da platéia e o riso era tão bom, tão profundo e natural que se tornou terapêutico.
Todos os que padeciam de tristezas agudas ou crônicas eram indicados pelo médico do lugar para que assistissem ao tal artista que possuía o dom de eliminar angústias. Um dia porém um morador desconhecido, tomado de profunda depressão, procurou o doutor. O médico então, sem relutar, indicou o circo como o lugar de cura de todos os males daquela natureza, de abrandamento de todas as dores da alma, de iluminação de todos os cantos escuros do nosso jeito perdido de ser. O homem nada disse, levantou-se, caminhou em direção à porta e quando já estava saindo, virou-se, olhou o médico nos olhos e sentenciou: "não posso procurar o circo... aí está o meu problema: eu sou o palhaço".
Como professor vejo que, às vezes, sou esse palhaço, alguém que trabalhou para construir os outros e não vê resultado muito claro daquilo que faz. Tenho a impressão que ensino no vazio (e sei que não estou só nesse sentimento) porque depois de formados meus ex-alunos parecem que se acostumam rapidamente com aquele mundo de iniqüidades que combatíamos juntos. Parece que quando meus meninos(as) caem no mercado de trabalho a única coisa que importa é quanto cada um vai lucrar, não importando quem vai pagar essa conta e nem se alguém vai ser lesado nesse processo. Aprenderam rindo, mas não querem passar o riso à frente e nem se comovem com o choro alheio. Digo isso, até em tom de desabafo, porque vejo que cada dia mais meus alunos se gabam de desonestidades. Os que passam os outros para trás são heróis e os que protestam são otários, idiotas ou excluídos, é uma total inversão dos valores. Vejo que alguns professores partilham das mesmas idéias e as defendem em sala de aula e na sala de professores e se vangloriam disso. Essa idéia vem me assustando cada vez mais, desde que repreendi, numa conversa com alunos, o comportamento do cantor Zeca Pagodinho, no episódio da guerra das cervejas e quase todos disseram que o cantor estava certo, tontos foram os que confiaram nele. "O importante professor é que o cara embolsou milhões", disse-me um; outro: "daqui a pouco ninguém lembra mais, no Brasil é assim, e ele vai continuar sendo o Zeca, só que um pouco mais rico", todos se entreolharam e riram, só eu, bobo que sou, fiquei sem graça. O pior é quando a gente se dá conta que no Brasil é assim mesmo, o que vale é a lei de Gérson: "o importante é levar vantagem em tudo". ( Lei de Gerson...dá para rir...) A pergunta é: É possível, pela lógica, que todo mundo ganhe ? Para alguém ganhar é óbvio que alguém tem de perder. A lógica é guardar o troco a mais recebido no caixa do supermercado; é enrolar a aula fingindo que a matéria está sendo dada; é fingir que a apostila está aberta na matéria dada, mas usá-la como apoio enquanto se joga forca, batalha naval ou jogo da velha; é cortar a fila do cinema ou da entrada do show; é dizer que leu o livro, quando ficou só no resumo ou na conversa com quem leu; é marcar só o gabarito na prova em branco, copiado do vizinho, alegando que fez as contas de cabeça; é comprar na feira uma dúzia de quinze laranjas; é bater num carro parado e sair rápido antes que alguém perceba; é brigar para baixar o preço mínimo das refeições nos restaurantes universitários, para sobrar mais dinheiro para a cerveja da tarde; é arrancar as páginas ou escrever nos livros das bibliotecas públicas; é arrancar placas de trânsito e colocá-las de enfeite no quarto; é trocar o voto por empregos, pares de sapato ou cestas básicas; é fraudar propaganda política mostrando realizações que nunca foram feitas (assim como costuma fazer a dupla sertaneja Lula e Duda). É a lógica da perpetuação da burrice. Quando um país perde, todo mundo perde. E não adianta pensar que logo bateremos no fundo do poço, porque o poço não tem fundo. Parafraseando Schopenhauer:"Não há nada tão desgraçado na vida da gente que ainda não possa ficar pior". Se os desonestos brasileiros voassem, nós nunca veríamos o sol. Felizmente há os descontentes, os lutadores, os sonhadores, os que querem manter o sol aceso, brilhando e no alto. A luz é e sempre foi a metáfora da inteligência. No entanto, de nada adianta o conhecimento sem o caráter. Que nas escolas seja tão importante ensinar Literatura, Matemática ou História quanto decência, senso de coletividade, coleguismo e respeito por si e pelos outros. Acho que o mundo (e, sobretudo, o Brasil) precisa mais de gente honesta do que de literatos, historiadores ou matemáticos. Ou o Brasil encontra e defende esses valores e abomina Zecas, Gérsons, Dirceus, Dudas e todos os marketeiros que chamam desonestidades flagrantes, de espertezas técnicas, ouo Brasil passa de país do futuro para país do só furo. De um Presidente da República espera-se mais do que choro e condecoração a garis honestos, espera-se honestidade em forma de trabalho e transparência. De professores, espera-se mais que discurso de bons modos, espera-se que mereçam o salário que ganham (pouco ou muito) agindo como quem é honesto. A honestidade não precisa de propaganda, nem de homenagens, precisa de exemplos. Quem plantar joio, jamais colherá trigo.Quando reflexões assim são feitas cada um de nós se sente o palhaço perdido no palco das ilusões. A gente se sente vendendo o que não pode viver, não porque não mereça, mas porque não há ambiente para isso. Quando seria de se esperar uma vaia coletiva pelo tombo, pelo golpe dado na decência, na coerência, na credibilidade, no senso de respeito, vemos a população em coro delirante gritando "bis" e, como todos sabemos, um bis não se despreza. Então, uma pirueta, duas piruetas, bravo ! bravo ! E vamos todos rindo e afinando o coro do "se eu livrar a minha cara o resto que se dane". Enquanto isso o Brasil de irmã Dulce, de Manuel Bandeira, do Betinho, de Clarice Lispector, de Chiquinha Gonzaga e de muitos outros heróis anônimos que diminuíram a dor desse país com a sua obra, levanta-se, caminha em silêncio até a porta, vira-se e diz: "Esse é o problema... eu sou o palhaço".
 
 
Pro meu querido "professor de filosofia" (Nailor Marques)


Escrito por Danila às 20h24
[] [envie esta mensagem
]



VOCÊ TEM MEDO 
DE SER DIFERENTE?

As religiões, a sociedade convencionaram o certo e o errado,
utilizando critérios próprios.
Quem obedece a esses critérios é catalogado como pessoa equilibrada e é aceito pela maioria.
Diante da conquista de novos conhecimentos,
essa avaliação vai se modificando.
A verdade vai aparecendo aos poucos.
Copiamos os modelos instituídos porque desejamos ser aceitos
e amados pela maioria.
Acreditamos que isso seja valorização.
Mas o que fazer com nossos sentimentos que não se encaixam nesses papéis?
Ignorá-los?
Sufocá-los para que ninguém perceba que somos diferentes?
Temos medo de ser diferentes.
O que tememos já está acontecendo.
Nós somos diferentes.
Cada um é cada um.
Não existem duas pessoas iguais.
Você morre de medo de não ser "certinha"?
Nesse caso, em tudo que vai fazer há sempre um severo juiz dentro de sua cabeça,
avaliando se cada ato seu está ou não dentro do papel.
Será que isso está certo?
O medo de fazer "algo errado"é tão grande que há pessoas que não fazem nada sem antes consultar os outros.
O pai, a mãe, o irmão mais velho, o amigo inteligente,
o guru, os espíritos,o psicólogo, o tarô, a cartomante.
E como cada um é um e tem seu próprio modo de perceber as coisas,
os conselhos serão tantos e tão diferentes que,
no fim, a indecisão fica maior.
Sempre que você pergunta aos outros o que deve fazer,
está se classificando como incapaz.
Isso é uma grande ilusão.
Por ser diferente,você não é inferior a ninguém.
Não lhe falta nada.
Você é só você.
Tem seu próprio modo de sentir e de fazer as coisas.
É tão capaz quanto qualquer pessoa.
O problema é que você não acredita,
não confia em si e dessa forma abdica de seu poder de realização.
Pergunta-se: Você sempre faz o que seu coração pediu ou o que seu juiz lhe dizia que deveria ser certo?
Quando foi contra seu coração,
lembra-se da sensação de vazio e de aperto no peito que sentiu?
Pois é.
Esse aperto no peito é indício seguro de que você sufocou seus verdadeiros sentimentos, se anulou em favor do papel social.
Quando não somos verdadeiros, a insatisfação aparece.
Todas as pessoas que não se acreditam boas tentam compensar.
Como sentem vergonha do que pensam ser, fingem ter virtudes que ainda não possuem mas que gostariam de ter.
Para elas, errar seria um caos.
E como "sabem" que estão sendo falsas, não se respeitam e perdem a dignidade.
Ninguém pode ser feliz se sentindo assim.
Foram aqueles que saíram do "Padrão"e das "regras" do convencional que acionaram o progresso do mundo sem se preocupar com o certo ou o errado.
O próprio Jesus Cristo, se tivesse entrado nos padrões sociais de sua época, teria fracassado em sua missão.
O carisma é uma expressão da alma.
Quando a alma fala, sua essência espiritual e divina se manifesta,
e a pessoa brilha, conquista, aparece.
É nela que reside sua força e poder.
Negá-la é preferir a obscuridade.
Se você quer ser feliz, mande embora seu "severo juiz", ouça seu coração.
Valorize o que sente e seja uma pessoa verdadeira.
Assuma seus sentimentos.
Só diga "sim"depois de sentir o que realmente quer.
Caso contrário, não tenha receio de dizer "não".
Deixe de contar seus problemas aos outros e perguntar o que deve fazer.
Confie em seus critérios, Você pode!
Experimente.
TEMOS MEDO DE SER DIFERENTES O QUE TEMEMOS JÁ ESTÁ ACONTECENDO: SOMOS DIFERENTES! "
Você pode mudar sua vida, está em suas mãos criar e modificar o próprio destino.
O poder é só seu"

 

 



Escrito por Danila às 16h37
[] [envie esta mensagem
]



 

 

Olho para o céu
Tantas estrelas dizendo da imensidão 
Do universo em nós
A força desse amor nos invadiu
Com ela veio a paz toda beleza de sentir
que para sempre uma estrela vai dizer..simplesmente amo você...”

     Eu não sei fazer poemas mas eu descobrí que sei fazer estrelas de lantejoulas, elas brilham... brilham como a luz dos olhos teus...as estrelas cantam pra mim, elas me segredam seus nomes: Sírius, Canopus, Arcturus, Rigil Kentaurus, Veja, Capela, Rigel, Prócion, Achernar  e Betelgeuse assim como as dez estrelas mais brilhantes do sitema solar, são as minhas pequenas estrelinhas... cada lantejoula aplicada é um pequeno diamante tirado dos teus olhos... veja como brilha as minhas estrelas!  Já dizia Bilac: "Amai para entendê-las! Pois só quem ama é capaz de ouvir e de entender estrelas”...as minhas estrelas, com seis pontas, brilhantes como teus olhos reina sob as quatro direções dos céus e terras...teus sonhos são estrelas no céu a viajar, pois se sabe que se é sonho, é coisa delicada do coração...você é o vento que leva minhas bolhas de sabão para que voem livres, e eu desejo então que você brilhe sempre, eternamente...para que sua luz nunca tenha fim na constelação da minha vida! Dorme bem meu anjinho....eu fiz um céu de lantejoula para os dias em que a chuva cobrir as tuas estrelas...

 

 

 

 



Escrito por Danila às 23h31
[] [envie esta mensagem
]



 

Tudo por um livro do Edson!

 

     Hoje saciei meu desejo. Aliás “meus desejos” (mas aqui só posso falar de um, o outro é secreto, risos). O Desejo esse  "apetite", esse impulso produzido pela estimulação de um sistema neurológico específico, que produz sensações específicas e suficientes para levar a pessoa à busca de experiência ou a mostrar-se receptiva a ela. Todo mundo já teve um desejo na vida! Eu já desejei pessoas, coisas...vivo de desejo, um dos meus desejos eternos é por chocolate, mas existe uma desejo que trago desde criança...e quando eu era criança não comia chocolate do jeito que como hoje, mas já desejava os livros, e nos últimos tempos eu desejei desesperadamente o livro do Edson....e ele está aqui! O livro do Edson Marques está aqui comigo!), foi uma aventura...não consigo deixar de lembrar da cena hilária, eu perdida sozinha, no meio do largo do paisandú, tinha dado umas 4 voltas procurando a “temos livros” até que um gringo chega pra mim e pergunta: “E aí morena quanto é?” Eu lhe digo “Quanto é o quê?”, no qual ele arremata: “O programa” (moça do interior perdida na cidade grande é foda né?) mas num dado momento me lembrei da existência do celular e do número da livraria, por fim consegui encontrar a  “temos livros”,  Foi uma alegria imensa. O livro do Edson é simplesmente demais! É um livro que brinda a vida, que brinda o amor no ápice da sua magnitude, é um livro pra quem está vivo.

     São idéias para se recitar, poesias para se viver, palavras malucas para ser feliz. E o Edson é doido, é um desses malucos...porque poeta é tudo doido, e poesia é uma forma de loucura. E loucura é o tempero da vida. Disse o poeta T. S. Eliot: Num País de fugitivos aquele que caminha na direção contrária parece estar fugindo”. Andar na direção oposta a direção de todos só pode ser coisa de doido.  Vejam o Edson Marques, doidão! Numa sociedade os de as pessoas ainda aprisionam seus companheiros com inseguranças, ciúmes, opressões, vem o Edson para remar (e provar) o sabor do contrário...sejam livres, tenham prazer, sejam felizes. Ele diz “É impossível ser feliz sem liberdade”... Seu magnífico livro começa com um trecho assim: “ Este é um livro para aqueles que se amam. Não é um manual: não escrevo para escravos. Eu quero é que vocês pensem. Só isso. Essas coisas todas, eu as escrevo para quem nasce, ou quer nascer de novo. Para quem vive e não para quem morre!”- Edson Marques.

     Eis alguns trechos do livro “Manual da Separação”:

 

“Quando você deixa de amar alguém e continua com esse alguém, não é apenas esse amor que diminui: é a tua própria capacidade de amar que apodrece. Definitivamente.”

 

“Não basta ser semente: é preciso que germine.”

“O casamento é o túmulo do amor.”

“Amo as mulheres: no corpo de uma delas vejo a alma de todas as outras.”

 

“Só se morre uma vez, e é fatal.

Só se vive uma vez e é belo.

Quem não sabe a diferença se fode.”

 

“Só quem salta inteiro no belo escuro e profundo da vida é que pode viver e brilhar de verdade”.

 

     Quando eu li Maquiavel eu perdi minha ingenuidade....quando eu li Edson Marques perdí o resto da razão (o que me faz deliciosamente feliz).



Escrito por Danila às 21h30
[] [envie esta mensagem
]



    

Hoje você me olhou...caminhou até mim, me deu seu habitual bom dia...me contou suas histórias como já nos acostumamos a fazer...você me fez rir...você sentiu que eu estava triste, você adivinhou a minha alma quando me pediu pra lhe mostrar a minha mão! Você leu meus pesadelos e fez deles sonhos de padaria....você é assim, você não é nada além do irreal.

     Hoje choro mais uma dor, a dor do assassinato! Agora, neste exato momento minha alma comete mais um dos seus inescrupulosos atos de rebeldia, em que ferida mata a sua presa.... hoje do meu coração partem navios para naufragar...os meus pensamentos sempre tão contentes...pena que meu coração não o conhece. Meu pensamento é alegre mas meu coração é triste. Hoje sou um recorte de jornal...amanhã a manchete da revista...tenho a tristeza que dói de ser sentida...a minha alma agora deu a ultima facada e esse amor agoniza no meu peito, não consigo reter seu sangue...minha alma imaculada se tinge do escarlate de tão poética criatura....seu último suspiro junta com minhas lágrimas que forasteiras insistem em cair num desespero para se juntar ao sangue e temperados  trazem o aroma de um amor encontrado por acaso e perdido pelo medo...

 



Escrito por Danila às 11h12
[] [envie esta mensagem
]



´A primeira idéia que uma criança precisa ter é a da diferença entre o bem e o mal. E a principal função do educador é cuidar para que ela não confunda o bem com a passividade e o mal com a atividade.´

Maria Montessori (1870 - 1952), Pedagoga Italiana 

 

     Freud um dia disse que profissão “professor” era uma profissão “impossível” Ser professor nunca foi fácil. Durante séculos exigiu-se que o professor fosse um modelo de virtudes, e mais recentemente que desempenhasse as funções de um técnico, capaz de mudar os comportamentos e atitudes de todo o tipo de alunos....mas  quanto será que um aluno muda o professor?

     Todo mundo lembra da primeira professora com carinho...eu só lembro da força com que ela segurava meu braço me forçando a entrar na sala..., era meu primeiro dia de aula, lá conheci um menininho que me pôs na mão o que seria a minha paixão pelo resto da minha vida escolar, um livro! As mesas eram para quatro crianças, do meu lado meu amiguinho, um menino que eu adorei desde a primeira hora, e acho que foi a primeira pessoa por quem tomei as dores... chegou a hora do lanche...ah aquela professora gorda não sabia que eu não comia fora de casa....mas comi, seria a primeira e última vez, enquanto eu olhava pro meu prato percebi que meu amiguinho estava sendo obrigado a abrir a boca e engolir sua sopa, achei aquilo o fim do mundo, fiquei tão injuriada que cheguei perto da professora, lhe puxei a saia e quando ela me olhou joguei minha sopa nela e saí correndo....corri pra fora da escola pra nunca mais voltar, pulei o trem e voltei para casa dizendo pra minha mãe que nunca mais voltaria lá. Voltei é óbvio, mas só no ano seguinte.... Aliás só voltei pra escola porque eu queria saber o que estava escrito nos livros que eu carregava pra cima e pra baixo junto com minhas galinhas. Daí, por sorte encontrei uma professora paciente e amorosa, quis ser professora claro,  mas eu prometi que seria diferente daquela tia que conheci....e jamais obrigaria uma criança a comer. Acho que consegui...treinei bastante com minhas galinhas.

     A cada dia acordar pra trabalhar é como saudar um novo acontecimento. Amo o colégio, amo meus alunos, amo cada livrinho, cada folhinha de papel, amo o cheiro do giz de cera, o cheiro das crianças suadas, os beijos babados, as mãos de tinta no meu uniforme, o riso deles, os matos que eles arrancam dos jardins e me trazem como sendo “flores pra tia Dani” e que a tia sempre coloca nos vasinhos estratégicos espalhados sobre a pia...é emocionante vê-los escrevendo sozinho,...e a leitura? Quando a criança lê pela primeira vez, parece que o coração da professora pára, e o mundo paralisa diante do som das primeiras letras....

     Eu nunca escrevi aos meus mestres...mas jamais deixei de escrever num caderninho de aluno o quanto ele é valioso. Ao meu aluno com carinho....

 



Escrito por Danila às 21h52
[] [envie esta mensagem
]



"Detesto tudo que oprime o homem, inclusive a gravata."

 por CLARICE LISPECTOR 

MULHER, POESIA, MÚSICA

- Vinícius, acho que vamos conversar sobre mulheres, poesia e música. Sobre mulheres porque corre a fama de que você é um grande amante. Sobre poesia porque você é um dos nossos grandes poetas. Sobre música porque você é o nosso menestrel. Vinícius, você amou realmente alguém na vida? Telefonei para uma das mulheres com quem você casou, e ela disse que você ama tudo, a tudo você se dá inteiro: a crianças, a mulheres, a amizades. Então me veio a idéia de que você ama o amor, e nele inclui as mulheres.

- Que eu amo o amor é verdade. Mas por esse amor eu compreendo a soma de todos os amores, ou seja, o amor de homem para mulher, de mulher para homem, o amor de mulher por mulher, o amor de homem para homem e o amor de ser humano pela comunidade de seus semelhantes. Eu amo esse amor mas isso não quer dizer que eu não tenha amado as mulheres que tive. Tenho a impressão que, àquelas que amei realmente, me dei todo.

- Acredito, Vinícius. Acredito mesmo. Embora eu também acredite que quando um homem e uma mulher se encontram num amor verdadeiro, a união é sempre renovada, pouco importam as brigas e os desentendimentos: duas pessoas nunca são permanentemente iguais e isso pode criar no mesmo par novos amores.

- É claro, mas eu ainda acho que o amor que constrói para a eternidade é o amor paixão, o mais precário, o mais perigoso, certamente o mais doloroso. Esse amor é o único que tem a dimensão do infinito.

- Você já amou desse modo?

- Eu só tenho amado desse modo.

- Você acaba um caso porque encontra outra mulher ou porque se cansa da primeira?

- Na minha vida tem sido como se uma mulher me depositasse nos braços de outra. Isso talvez porque esse amor paixão pela sua própria intensidade não tem condições de sobreviver. Isso acho que está expresso com felicidade no dístico final do meu soneto "Fidelidade": "que não seja imortal posto que é chama / mas que seja infinito enquanto dure".

 A música de Vinícius, disse ela, fala muito de amor e a gente se identifica sempre com ela.

- Você teria um 'caso' com ele?

- Não, porque apesar de achar Vinícius amorável, eu amo um outro homem. E Vinícius me revela ainda mais que eu amo aquele homem. A música dele faz a gente gostar ainda mais do amor. E "de repente, não mais que de repente", ele se transforma em outro: e é o nosso poetinha como o chamamos.

Eis pois alguns segredos de uma figura humana grande e que vive a todo risco. Porque há grandeza em Vinícius de Moraes.

(in "A Descoberta do Mundo" -  Editora Rocco - Rio de Janeiro (1988)"




Escrito por Danila às 11h15
[] [envie esta mensagem
]



 Hoje tem espetáculos?
 Tem sim sinhô
 Hoje tem vatapá?
 Tem sim sinhô
 Hoje tem marmelada?

 Tem sim sinhô
 Hoje tem brucutu?
 Tem sim sinhô
 Pra comê com angu?
 (Tem) sim sinhô

E depois:

— E o palhaço o que é?
— É ladrão de mulhé...

(Pirilampos e Palhaços)

 

Até pode ser um ladrão de mulher, mas é também um ladrão de tristeza. Quando rimos de um palhaço estamos rindo de nós mesmos, perdoando nossos tombos, nossos erros e nossa tristeza...os palhaços sempre foram o meu sonho de seqüestro, sempre que vem um circo pra cá, lá estou eu...e sempre só pra ver o palhaço! Ah palhacinho do circo di Cuba...esqueci o teu nome, mas nunca vou esquecer o teu sorriso!

 

Todo mundo esperando

Toda gente imaginando

Como é que pode

Um palhaço de fricote?

 

Tem palhaço careca

Tem palhaço cabeludo

Tem palhaço sem cueca

Tem palhaço barrigudo

 

Calma minha tia

Sou um palhaço diferente

Sou o teu palhaço da alegria

O palhaço do contente

 

Tia Dani fica brava

Com o palhaço que faz pirraça

Tinha cara de palmito.

O meu palhaço Frederico.

 

Apresento pra você

O palhaço do meu peito

De encanto e fantasia

Viva o Fred da alegria

 



Escrito por Danila às 21h40
[] [envie esta mensagem
]



 

Era uma vez um homem...

O homem tinha um filho...

O filho amava o homem..

...e o homem amava caixas

Caixas grandes, caixas pequenas, caixas médias, caixas altas, caixas redondas, todos os tipos de caixas!

O homem tinha dificuldade em dizer ao filho que o amava; então, com suas caixas ele começou a construir coisas para seu filho.

Ele era perito em fazer castelos

E seus aviões de caixas sempre voavam...a não ser claro, que chovesse.

As caixas apareciam de repente, quando os amigos chegavam, e, nessas caixas, eles brincavam...e brincavam...e brincavam.

A maioria das pessoas achava que o homem era estranho.

Os velhos apontavam para ele.

Seus vizinhos riam dele pelas costas.

Mas nada disso preocupava o homem,

Porque ele sabia que tinham encontrado uma maneira especial de compartilharem...

O amor de um pelo outro.

Extraído de um livro muito gracioso chamado "O homem que Amava Caixas" deStephen Michael King



Escrito por Danila às 11h53
[] [envie esta mensagem
]



Bem-te-vi... voou, voou...bem-te-vi voou, voou

...deixa voar.....lauê, lauê, lauá....

     Vai bem-te-vi...vá pra bem longe de mim, não quero mais você...se você continuar aqui pode ser que eu te prenda, se eu te prender você perderá seu encanto e eu não poderei viver com sua tristeza....vá embora você é feito de vento, você é do vento, você é vento...você tem que partir, é preciso que você se vá para que a saudade chegue e você tenha vontade de voltar...enquanto isso vou cuidar do jardim que aqui fica,me visto das melhores flores para você, um alabastro de milhões de micros cristais esculpidos no formato de flores...amor perfeito! Construí o jardim aos teus olhos para parecer magnífica, minha inocência não saberia pedir mais....só queria existir para colorir a sua vida.

     Vá querido, preciso pensar nas borboletas, nos caracóis, nos outros pássaros, preciso pensar nesse jardim carente de você, das tuas palavras dos teus rótulos, eu sou um jardim que poucos ousam cultivar por sentirem tanto medo de mim, mas é porque meu amor não é deste mundo.Vá meu lindo pássaro...  Longe, na dor da saudade, muitas coisas boas crescem dentro da gente....sempre que sentimos saudades, ficamos mais bonitos...e eu me enfeitarei para te esperar. Vá.....eu vou dormir e esperar que você volte amanhã...quem sabe amanhã... o jardim tem que florescer com ou sem você, mesmo regado de lágrimas....vá pássaro errante....vá pra longe do meus olhos... sempre estará no coração desse jardim...quem sabe amanhã...ou na próxima primavera. Você foi o eco do meu florescer....   

 



Escrito por Danila às 21h33
[] [envie esta mensagem
]



      Lá vai o barquinho azul com velas brancas...ele tem medo do mar, mas nunca de navegar, sabe que navegar é preciso, conhece a segurança do porto mas entende que ele não foi feito pra ficar atracado...... sabe que a vida é assim mesmo....que  é sempre possível ficar atracado ou só navegar nas baías mansas. Aí não há perigo de naufrágio...mas não há o prazer do calafrio e do desconhecido....o barco azul é pequeno ( mas tem uma cozinha cheia de chocolate e água), não precisa de remos, eles são inúteis, a força da natureza é maior...e o leva pra uma praia deserta, desconhecida onde ele adora ficar...às vezes o mar é maior do que seu plano de viagem. Fernando Pessoa dizia que: "Deus ao mar o perigo e o abismo deu,/ Mas nele é que espelhou o céu". Talvez seja por isso que os navegadores nevegam: porque no perigo e no abismo eles vêem refletida a eternidade.....hoje vamos brincar de construir barquinhos de papel...



Escrito por Danila às 11h21
[] [envie esta mensagem
]



     A realidade e os sonhos se misturam num emaranhado de emoções. Como distinguir o que é real ou o que simplesmente sua mente inventou?...Penso que as crianças estão cada vez mais inteligentes, “penso” porque no fundo tenho certeza... a cada 30 anos há um aumento de 15 pontos no QI do ser humano....o quanto a humanidade ainda há de evoluir diante de tanta inteligência fluída e cristalizada....outro dia um aluno de 5 anos que se interessava por física quântica, vivia me pedindo pra levá-lo ao laboratório...quando lá chegamos ele se encantou com a tabela periódica e queria saber o que era aquilo e não se convenceu quando eu simplesmente disse o que era, queria saber o significado de cada símbolo ali descrito....foi um Deus nos acuda, eu já nem lembrava mais de todos eles, tive que pedir auxílio para o professor de física,  que, só fez complicar mais ainda, porque até agora estou estudando teoria da relatividade, radiações,forças, grandezas físicas, calor, eletricidade...e agora ando numa onda de explicar o universo a essa gente pequena que me olha com chupeta na boca, mas com todo o interesse do mundo...e olha só que eles entenderam! Afinal como a própria etimologia da palavra “physis” usada pelos gregos antigos para denominar a natureza essencial ou a constituição real das coisas, as crianças são mestras em discutir como essas leis governam o universo subatônico... Nada é tão misterioso como a vida. E de todos que dia a dia nascem e aparecem no mundo, apenas alguns verdadeiramente vivem, conscientes disso. Alguns poucos tem a percepção de que não é óbvio viver. Viver é um milagre! Olhar, pensar, sorrir, clamar, chorar. Nada disso é "normal", corriqueiro. É uma maravilha que se repete a cada dia e a cada momento, mas que, só por sua regularidade, não deve tornar-se algo banal.....as crianças sabem disso, mas perdem-se à medida que crescem...salvo algumas “crianças grandes” que encontramos pelo mundo afora e que não se perderam no caminho das idéias (né mesmo André?)..a diferença são os sonhos, os sonho infantil é tão real pros pequenos como a realidade para os grandes....sonhar é bom! Ninguém quer ser acordado enquanto sonha. O sonho é belo, é prazeroso. Nele vê-se nuvens e se pode tudo....feliz de quem sonha, pois tudo faz com entusiasmo, pobre o depressivo que é justamente aquele que perdeu a capacidade de viver no mundo da magia. Acho que as crianças conversam com os anjos do céu sobre os mistérios da vida...as crianças são como os anjos, e os anjos são mais inteligentes do que os adultos, não são tão inteligentes quanto Deus, mas entendem tudo sem ter que ficar pensando....O mundo dos anjos e das crianças é diferente...o limite entre o que existe no mundo "palpável" e o que apenas existe em nossa consciência é ultrapassado, com a vida desprendendo-se do "cárcere da consciência" e saltitando por uma ilha mágica. Criaturas convivem com seu criador, numa dicotomia quase que insustentável e explosiva. Mas afinal, o que é mais artificial? Um homem ou um aparelho de TV?

 

 



Escrito por Danila às 10h52
[] [envie esta mensagem
]



    Puxa! Puxa! Como tudo está tão estranho hoje! E ontem as coisas estavam tão normais! O que será que mudou à noite? Deixe-me ver: eu era a mesma quando acordei de manhã? Tenho a impressão de ter me sentido um pouco diferente. Mas se eu não sou a mesma, a próxima questão é "Quem sou eu?" Ah! esta é a grande confusão...você sabe quem você é? Pois eu me perdi, acho que foi o gato safado, ele vive a roubar minha identidade....ainda outro dia ele me fez acreditar que o coelhinho da páscoa tinha roubado sua tigela de ração! Já avisei o gato : “Não quero me meter com gente louca”. Oh...é inevitável, disse o gato, “somos todos loucos aqui. Eu sou louco. Você é louca”...Acho que caí na escada, vivo caindo...levo cada tombo! ...."Depois de uma queda dessas, eu não vou achar nada se rolar pela escada! Em casa eles vão achar que eu sou corajosa! Porque eu não vou falar nada, mesmo que caia de cima da casa!” Somos como Alice a passear pelo País das loucuras, não foi a toa que Lewis Carroll, escreveu tantas loucuras para se descrever um “País das Maravilhas”, Alice bebe e encolhe, come e aumenta, o Coelho anda sempre agitado e o Chapeleiro Maluco serve um chá delirante. Tudo isto acontece no País das Maravilhas. Que substâncias poderão influenciar tais comportamentos? Eu tenho meu gato igual ao da Alice, um gato louco de rabo engraçado, e tenho um coelho maluco chamado André (André, eu te amo), que sempre me faz adentrar na mata dos sonhos. No olhar da Alice estão as distâncias que separam a terra das estrelas, uma distância sem mistérios...o sorriso do gato de Alice é lindo, é mágico, ele vive alegre sem nem ao menos ter motivo....num País onde tudo parece governado por acaso e criado por imaginação, penso em como teria vivido Lewis Carrol, já que sua toda criatura é espelho e imagem do criador....

...Lewis Carroll, cujo verdadeiro nome era Charles Lutwidge Dodgson. Ele era professor de Matemática em Oxford e gostava de joguinhos de lógica e de matemática (claro). Uma particularidade de Carroll era que o moço era um quase um pedófilo. Ele amava as menininhas, em especial Alice Liddell, musa inspiradora de sua mais famosa obra. Alice no País das Maravilhas” foi publicado pela primeira vez em 1865 e foi escrito especialmente para Alice Liddell, que tinha 10 anos na época.

 



Escrito por Danila às 23h10
[] [envie esta mensagem
]



 

Amor-Perfeito...

       Aceita um convite para ir até o jardim? Gostaria que os amores-perfeitos o vissem...

       Outro dia li um livro sobre especiarias que dizia que as mulheres da antiguidade conheciam como ninguém os segredos das flores....tomavam delas o seu poder, quando não eram usadas em banhos, perfumes, máscaras, as flores viravam chás e poções mágicas...

Ontem vi um canteiro de “amores-perfeitos” , fiquei olhando e lembrei de que os “amores-perfeitos” são conhecidos também como “violeta-das-feiticeiras”  . Pulverizadas juntamente com minhocas e servidas com carne teriam o poder de despertar a centelha do amor...quantos homens já beberam dessa infusão afrodisíaca? Teriam as mulheres utilizado dessa artimanha? Os afrodisíacos surgiram na Grécia Antiga, quando os gregos cultuavam Afrodite - a deusa do amor, da beleza e da fecundidade - com cerimônias e rituais especiais, nos quais eram ingeridas “poções do amor” na esperança de que aumentassem o vigor e o prazer sexual. Ervas, flores e especiarias regidas por Afrodite (Vênus, para os romanos) eram usadas como ingredientes no preparo dessas poções e, com isso, ganharam a fama de "afrodisíacos"....o amor-perfeito, na linguagem das flores, sempre aparece, além dessa ligação,  às recordações e aos pensamentos, ela é chamada de “erva-da-trindade”, porque suas cores são três, assim como a Santíssima Trindade. Na França essa flor é chamada de “pensée” ou seja, pensamento, daí entendi porque a s mulheres dos marinheiros, na Bretanha, dessem um pouco de terra dos amores perfeitos aos seus maridos para que não se esquecessem delas e da família....vou plantar essa flor na minha janela, talvez eu passe a oferecer chá de amor perfeito......afinal, já dizia um provérbio francês que “A chama do amor é acesa na cozinha”...

 

 



Escrito por Danila às 14h15
[] [envie esta mensagem
]



     Na minha cama não tem espaço para você...

 

     Nêmesis vá-se embora, anda, xispa da minha cama...filha da noite, poderosa que distribui a boa e a má sorte aos mortais, saia daqui...não vês que hoje não tem lugar para ti? Hoje tenho que me transformar na catecúmena que meu santo espera que eu seja, hoje eu escrevo o amor...escrever o amor também é um forma de o demonstrar...talvez hoje eu deixe um bilhetinho de amor ao meu querido morpheu que me espera de braços abertos, tão logo eu me deito em minha cama ele me abraça com carinho ... ouve-me as juras e em troca me sussura suas perjúrias...tem o toque das nuvens de algodão, embriagado pelo vinho que bacos tem alí derramado...jogada nos braços de morpheu penso que sou uma Afrodite banida do olimpo....a minha cama é sagrada...ela guarda meus sonhos, meus segredos...que cheiro tem Morpheus? Tem cheiro de rosas com amor do sol...envolto em vestes profanas os braços de Morpheu são o meu reduto mais recôndito... juntos olhamos a lua, lá está Selene, perscrutando seu jovem Endimião... o qual ela embala num sono eterno de modo que ele nunca possa sair dele, puxe seus cavalos e voe até o deus dos céus....hoje fico aqui embalada pela “vita brevis” de Jostein Gaarder...talvez eu encontre a resposta para os montros que se alojaram debaixo de minha cama....ali repousam o terrível puxapé em seu Pântano lodoso...chamem Príapo o deus dos bosques e jardins para que tragam minhas flores de volta...olhe ao lado e veja o tenebroso beliscador de dedão...cronos engula-o como o fazia com seus filhos...veja..está se aproximando o malvado coçador de joelhos...já não agüento os monstros que habitam debaixo da minha cama, Poseidon e Hades logo aqui estarão para dominar o subterrâneo da minha imaginação....crianças, parem de me contar essas histórias, estou tendo pesadelos para dormir....

 



Escrito por Danila às 00h08
[] [envie esta mensagem
]



Amantes...

     Que lindos são os amantes! Que emocionante é viver na condição de amante....pense que a saudade dos amantes é muito mais incandescente do que o fogo em si....a saudade que mora no amor dos amantes é mágica, ao passar do tempo ela consegue reencantar  os amantes quando o cotidiano só faz banalizar. Amantes têm seu brilho...eles crescem um com os ideais do outro e tornam-se mutuamente mais atraentes a medida que o tempo passa.

      Como é bom ser amante, ser amante é fascinante... é jamais cair na letargia do costume, é nunca ter rotinas, é remédio para qualquer vida monótona e sem perspectiva.....quando me refiro ao “amante”  não precisa ser necessariamente uma pessoa, mas aquela coisa que nos apaixona, que nos inebria, que tem o fascínio do proibido...algo a se dedicar com muito esmero e entusiasmo....quem é que pode compreender os corações dos amantes? Quantas vezes eu já fui amante, esperando meu chegar num tapete voador, como no filme do “Alladin”(minha paixão)...”uma incrível visão, num vôo tão lindo...que fomos planando e subindo..olha eu vou lhe mostrar...como é belo este amor...já que nunca deixaram o seu coração contar... eu lhe ensino a ver, todo encanto e beleza que há na natureza de um tapete a voar....um mundo ideal....tanta coisa importante, aqui é bom viver...com você só tem prazer....”

     Amantes, ah, feliz de quem vive nas condições de amante, triste é quem os julga, a condição de amante não tem lógica, é totalmente irracional... mas é vida, é vida plena de emoções que embelezam a alma. Antes de morrer, Guimarães Rosa deu a seguinte declaração: “ A lógica é a força com a qual o homem algum dia haverá de se matar. Apenas superando a lógica é que se pode pensar com justiça. Pense nisso: o amor é sempre ilógico, mas cada crime é cometido segundo as leis da lógica.”

Pense no amor sem compromisso, no amor vivido plenamente em seu momento, porque o futuro é incerto...o amor amante não pode ser egoísta, porque o objeto amado não lhe pertence. É amor solto, como folhas ao vento....Edson Marques fala que “Orgasmo em cativeiro é a coisa mais sem graça do mundo..e os casados que o digam.”  Amantes não vivem juntos, amantes são sós, eles cantam e dançam juntos como as cordas de um violino vibrando uma mesma canção...vejo o mundo dos amantes como sendo o mundo dos seres apaixonantes,  amantes correm riscos, e são seduzidos por esses riscos, o medo não habita no mundo dos amantes, se lá fizer morada os amantes tem que se separar...porque deixaram de ser seres apaixonantes e passaram a ser seres abandonantes....

     Seja amante ou seja o amado, seja sempre o maior entusiasta nesse tapete mágico....

 

“In memoriam” ao meu querido professor...

 

 

 

 

 

 



Escrito por Danila às 22h00
[] [envie esta mensagem
]



Abelardo e Heloíse....

     Num belo túmulo de mármore branco no cemitério do Padre Lachaise, em Paris, sob a proteção de um docel rendilhado, se encontram o casal protagonistas de uma das mais dramáticas histórias de amor que o mundo já conheceu, lá estão, modelados por sua forma definitiva, pala noite e pelo desejo....Abelardo e Heloísa.

     Deitados um ao lado do outro, em vestes mortuárias, sem se tocarem, rostos voltados para o céu, mãos cruzadas sobre o peito, sem desejos. Assim um escultor os esculpiu. Fico pensando.... se eles pudessem ter escolhido...com certeza a escultura seria outra : o beijo, de rodin... Assim é o túmulo de Abelardo e Heloisa. Por que o amor comovente é sempre o amor ferido ? Por que Romeu e Julieta, Tristão e Isolda, sofreram duras penas pelo tão desejado amor ? Otávio Paz disse uma vez que « coisas e palavras sangram pela mesma ferida » Como podem sangrar tanto amor dessas feridas ? Heloísa tinha 17 anos, Abelardo 38. Vinte e um anos o separavam, o amor ignora os abismos do tempo.....Imagino Abelardo, figura central das discussões filosóficas de Paris...dizem que possuia duas qualidades capazes de conquistar todas as mulheres : o encanto das palavras e a beleza da voz.  Heloísa dotada de tantas qualidades intelectuais tornou Abelardo poeta lógico incomparável.

     Quando descobertos, e seu amor secreto Abelardo escreve : «  A separação dos corpos levou ao máximo a união dos nossos corações, e porque não era satisfeita, nossa paixão se inflamou cada vez mais ».

     Helóisa grávida, Abelardo rapta-a e a leva para um lugar distante, seu tio tomado do desejo de vingança, mandam que castrem Abelardo, e quem sabe assim colocaria um fiam aquele amor. Inutilmente, ...Abelardo e Heloísa continuaram a se amar até o final da vida. Abelardo morreu aos 63 anos, Heloísa desejou ser enterrada no túmulo do seu amado, o que aconteceu 21 anos depois.

     Conta-se que ao ser levada para p túmulo, quando o caixão de Abelardo foi aberto, ele abriu os seus braços e a abraçou.

     Ainda hoje, após 900 anos os casais de namorados visitam aquele túmulo....



Escrito por Danila às 15h14
[] [envie esta mensagem
]



 

 

Sobre sapos, beijos e moral.....

Há momentos em que a atitude em frente ao fenômeno é mais interessante que o fenômeno em si. Acho que  foi isso que ocorreu na história da roupa nova do imperador, quando um garotinho ousou gritar: “O rei está nu”. Alguns dizem que o menino, que na história profere a verdade vista e silenciada por todos os demais súditos, é um filósofo, gênio da raça, um visionário. É  a verdade moral. “E toda nudez será condenada”, Penso na nudez de palavras, na nudez do verbo, o verbo que engravida sonhos, isso é bárbaro!

     As palavras tem poderes, poderem mágicos, elas passeiam por um bosque encantado, onde fadas, bruxas, dragões, mocinhas e sapos andam aos montes. E por falar em sapo....existe uma nudez mais exibida do que a ideologia que existe através dos contos de fadas? Vejam o sapo! Coitado do sapo! Aqui em casa tem vários, ainda hoje fiquei observando meu gato tentar pegar um deles, talvez eu devia beija-lo...quem sabe não se tornaria um príncipe? Afinal já foram tantos príncipes que eu beijei mas acabaram se tornando sapos....quem sabe o sapo não se torne príncipe...mas, porém, contudo, todavia...me peguei pensando no apelido carinhoso que recebí do pai de um aluninho “Tia fada”, hehehe, veja só “Tia Fada”. Talvez eu seja uma fast-fada. Beijar sapos com amor e continuar a fazê-lo, apesar dos pesares. Por um lado, a transformação não ocorre sempre. Não basta beijar o sapo rapidinho. Tem de haver amor. Existem milhares de fast-fadas por aí a beijar sapos de maneira inócua. E não adianta fingir amor, substituindo por ardor. Beijo de língua em sapo está mais para bestialismo do que para encantamento. E o resultado é sempre mais provável de dar uma chupada num sapo é engoli-lo ao invés de transformá-lo em príncipe. Beija-se algumas centenas de sapos, engolem-se vários, até que...de repente...um príncipe. Um milagre destes vale uma vida no brejo..... Por outro lado, para cada fada, existem cem bruxas a transformar os príncipes redivivos em sapos de novo. Aí ocorre o problema do sapo traumatizado, aquele que já virou príncipe e voltou a ser sapo. Esse precisa ser beijado uma centena de vezes. Haja saco! E fada com saco é uma impossibilidade da natureza...”tia fada” com saco? Risos....sei não, daqui a pouco viro papai Noel, daqui a pouco me pego cantando: “Eu pensei que todo mundo fosse filho de papai Noel...” A essa altura já estou acreditando em coelhinho da páscoa, duendes, saci pererê, aliás crio cada história maluca pros meus alunos acreditarem em tais personagens, que eu acabo acreditando mais que eles! Pobre crianças! Que pensariam se soubesse que a professora deles beija sapos por aí? Provavelmente não acreditariam,  (ainda bem).

 O beijo de Rodin
Rodin, o genial escultor francês do século XIX era na verdade um criador.
Deu vida às suas esculturas e despertou um amor incondicional levando a oucura a sua aluna e também brilhante escultora Camille Claudel. Essa série do beijo é muito famosa e impressionante. Ele faz o mármore parecer ma seda e o beijo não tem nada de frio, é quente, fervendo!



Escrito por Danila às 22h13
[] [envie esta mensagem
]



     Entre poucos romances que li e me fizeram pensar, está a história de amor de Tomas e Tereza, que Milan Kundera, conta em a Insustentável leveza do ser, também existe o filme de mesmo nome que conta a história de um médico tcheco que busca a liberdade sexual como forma de realização interior Tomas tinha tido muitas amantes. De todas as suas aventuras amorosas “sua memória só registrava o estreito e íngreme caminho da conquista sexual. Todo o resto (com o cuidado quase pedante) eliminara da memória”. Aventuras amorosas: Tomas na realidade nunca estivera apaixonado. O seu horror ao amor era tal que nunca permitia que uma mulher dormisse no seu apartamento. A idéia de acordar pela manhã ao lado de qualquer mulher o incomodava que tanto que Tomas sempre dava um jeito de levar a parceira de volta para casa. Ele se parecia com o Sultão d’as mil e uma noites: depois de uma noite de prazeres carnais a amante era decapitada...Era assim que Tomas se via, como animal caçador que abandona a caça tão logo sua fome tivesse sido satisfeita.

     Mas com Tereza tudo tinha sido diferente. Não que Tereza tivesse algum traço especial, que a distinguisse das outras. Por mais que a examinasse, nada encontrava nela que pudesse ser a razão do seu amor. E, no entanto, sem razões, o fato era que ele estava apaixonado por ela.

     Sua aventura com Tereza tinha começado exatamente onde terminava suas aventuras com outras mulheres. Ela se desenrolara do outro lado do imperativo que o levara a conquista. Conhecera Tereza acidentalmente num bar da cidadezinha do interior. Dissera-lhe, quase como uma brincadeira que se fosse a cidade o procurasse. Tereza foi e o procurou. Chegara a capital doente e não sabia para onde ir. oi aí que a história de amor começou. Ela estava ardendo em febre, adormecera no sofá da sala, e ele não pudera leva-la de volta como fazia com as outras. Para onde a levaria? Ajoelhado à sua cabeceira “ocorrera-lhe a idéia de que ela viera para ele numa cesta sobre as águas”...

     Agora, a distância, pensava sobre as razões do seu amo re fazia, sem que disso se desse conta, a insólita pergunta de Santo Agostinho: “Que é que amo, quando amo Tereza”?. Tudo se tornara claro de repente foi pela beleza desta cena que ele se apaixonara: Tereza, criança amedrontada, chegando aos seus braços com pedido de socorro.  Agora em sua memória poética, aquela cena permaneceria para sempre, imóvel, imperturbável, fora do tempo. Era uma parte da sua alma. Não morreria jamais. Vinícius de Morais percebeu que o amor pela mulher não é eterno, posto que é chama. Mas ele não percebeu que o amor pela bela cena é para sempre, pois o que a memória amou fica eterno.

     Amamos a bela cena antes de amar a pessoa. Por isso que Santo Agostinho dizia, em suas confissões: “Antes que te conhecesse eu já te amava”. Somos amantes muito antes de nos encontrar-nos com a pessoa que será o objeto do nosso amor.

     A alma é uma coleção de belos quadros adormecidos, os seus rostos envolvidos pela sombra. Sua beleza é triste e nostálgica, porque moram na alma e não existem  do lado de fora. Não existe coisa alguma que seja do tamanho do nosso amor. Neruda dizia que ele seria capaz de devorar o universo inteiro. Eu fico com as palavras de Adélia Prado: “para o desejo do meu coração o mar é uma gota”. E o amor se revela então como a coisa mais triste...e tudo volta a sua condição de sonho impossível da alma.

 



Escrito por Danila às 08h22
[] [envie esta mensagem
]



 


esmo que tentem me derrubar com críticas e agressões, com as sete vidas de um gato, salto mais alto e continuo acreditando no meu valor...
Julgamento é subjetivo e qualidade só pode
 ser apreciada por quem a tem
...

esmo que não reconheçam o que faço de bom... como um esperto cachorrinho de madame... saio na rua de cabeça erguida e, alegremente: 
"...." pra eles...

esmo se a pessoa especial em minha vida não me queira do jeito que sonhei... 
Sem problema!..vou  continuar vivendo... e porque não... muito bem!...

esmo nos momentos difíceis, em que as lágrimas nublem meus olhos e não me
 deixem andar, dou um tempo... Depois da tempestade, corro atrás da alegria, pelos bons
ventos que o destino soprar...

esmo debaixo de chuva ou de sol, não importa... vou abraçar quem eu amo e curtir o melhor que a vida tem pra dar...

..., com DEUS a guiar meus passos, sem medo 
e sem pressa, mais confiante do que nunca... vou por aí, driblando essa vida...

 



Escrito por Danila às 14h14
[] [envie esta mensagem
]



  

 

 Hoje acordei pensando na possibilidade de eu ser uma assassina...acho que minhas leituras andam me afetando em demasia, tenho lido sobre DPM, distúrbios de múltiplas personalidades, será que sofro disso? Existem tantas “Danilas” dentro de mim...Meus “hospedes” estão todos aqui. Alguns dormem sono pesado, outros cochilam e alguns despertam, buscam o seu bel prazer. Os hóspedes estão aqui cada um com a sua “cara”

  • Uma professora séria;
  • Uma criança que brinca;
  • Uma “tia” carinhosa;
  • Uma sedutora de fala mansa;
  • Uma pecadora arrependida;
  • Uma poeta deprimida;
  • Uma “sarjento” autoritária;
  • Uma criança birrenta;
  • Uma órfã abandonada;
  • Uma sabe tudo que só fala e não escuta;
  • Uma debochada;
  • Uma torturadora que sabe onde dói mais;

A mais intrigante: uma mistura de bruxa com a pureza da santidade, que ser monstruoso.

     Me esforço por mantê-los quietos. Alguns, ele (eu) gosto que apareçam. São seres civilizados. Confirmam o caráter “familiar” da pensão, outros quando aparecem é como se o inferno acontecesse.

     Será que tenho tal distúrbio? Hum...sei não...são tantas as fantasias guardadas no fundo na gaveta esperando para serem usadas....elas já viveram tantas noites...noite de monja, noite de Joplin, noite de puta, noite de Tereza de Calcutá...acho que vou procurar um exorcista, que encare a missão de desalojar demônios...ou quem sabe é preciso apenas perdoar os pecados....



Escrito por Danila às 10h29
[] [envie esta mensagem
]



[ ver mensagens anteriores ]